sexta-feira, 22 de julho de 2016

Sistema de retorno com fones de ouvido.

BATERIA VIRTUAL/ELETRÔNICA OU ACÚSTICA.

São quase que eternas as discussões sobre o uso da bateria acústica em ambientes, não tratados acusticamente, como teatros, igrejas, salões de festa, etc.
Não quero entrar no mérito da discussão, no sentido de dar uma opinião pessoal sobre qual é melhor ou pior, já que como não sou baterista, não posso dar minha opinião como usuário, mas somente como ouvinte, ou aquele que tenta através de microfones, reproduzir o melhor possível o som produzido por este instrumento.
Sei que existem baterias acusticas que recebem em sua construção materiais escolhidos a dedo, entre madeiras específicas, péles, plásticos e metais de primeiríssima qualidade, visando obter o melhor som destes materiais e que seus construtores fazem o melhor possível para criar sons incríveis.
Do outro lado as baterias eletrônicas que surgiram nos anos 80 com sons sintetizados e mais parecendo som de robôs do que reproduzindo o som de uma bateria real, tem evoluído muito, e através do sampleamento de sons reais tem a cada novo modelo se tornado, para aquele que não sabe, se é uma bateria de verdade ou não, com relação ao seu som. É muito difícil, para não dizer quase impossível saber somente pela audição de uma música, se naquela gravação foi usada uma bateria acústica ou eletrônica.
Entendo que alguns bateristas dizem que a sensibilidade na hora de percurtir a baqueta no instrumento é diferente da pele, ou nos pratos, de uma bateria real, mas gostaria de me ater a um ponto: o objetivo para o qual o som será produzido pelo instrumento.
Como citei no início, nem sempre o local onde a bateria será tocada é um ambiente tratado acusticamente. Como se trata de um instrumento percursivo e seus sons dependem do modo como o músico "bate" nele, as reflexões e ganhos obtidos pelo ambiente, pode produzir sons e ruídos, totalmente indesejáveis e diferentes daquilo que o baterista gostaria de produzir. Entendo que é muito importante que o volume produzido por qualquer instrumento em uma banda esteja equilibrado com relação aos outros, e que somente em determinadas ocasiões um deles se sobresaia. Vejamos os outros instrumentos: a guitarra tem um controle de volume, o mesmo para contrabaixo e teclados, instrumentos de sopro, violão, etc, sem falar nas vozes, são reproduzidos por microfones que são controlados por uma mesa de som. Somente a bateria e a percursão, estão sujeitas a sensibilidade do baterista e percursionista. No caso da bateria eletrônica, o volume que sai dela pode ser controlado pelo operador de som assim como os microfones, ou qualquer outro instrumento que esteja conectado na mesa de som.
Concluindo, é preciso pensar no todo, ou seja, na acusitica da sala, no volume geral da banda, nos que estão próximos da bateria. Como o próprio nome diz, estamos falando de um Conjunto que toca junto e para isso é preciso haver harmonia. Deixemos de pensar em nosso gosto ou satisfação pessoal na hora de tocar, mas no todo, no benefício que se obterá na reprodução para um público grande, que deverá receber com clareza e equilíbrio o que se está cantando, e os instrumentos, cada um em seu lugar, criando aquele ambiente harmonico e agradável aos ouvidos.